Mutirão da cidadania faz quase mil atendimentos em Juruti (PA)


Na segunda atividade do ano no Oeste do Pará, o mutirão da cidadania foi levado ao Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Juruti Velho, no Município de Juruti. Foram realizados 987 atendimentos a jovens e adultos com serviços de documentação e acesso a benefícios do Governo Federal. A ação, realizada nas duas últimas semanas de abril, compreendeu a emissão imediata de carteira de trabalho para adolescentes, a partir de 15 anos, e adultos, além do cadastramento de pessoas, de qualquer idade, para o CPF.

Foram emitidas 437 carteiras de trabalho e efetuado o cadastro de 481 pessoas para o registro do CPF. Os dados delas foram recolhidos para a posterior entrega do comprovante com o número do CPF. A previsão é que isso ocorra em até 30 dias.

PAE_Juruti_Velho_25_04_13_3Rosália de Souza Castro (foto), 35, levou quatro filhos para o mutirão da cidadania: dois deles receberam carteira de trabalho, e os demais repassaram seus dados para a emissão do CPF. “Se não fosse o mutirão, seria mais difícil. O mutirão vem nas comunidades; a gente não gasta para ir na cidade. Se vai, nem sempre dá para tirar todos os documentos; torna-se mais difícil”, avalia a assentada, que possui cinco filhos. Segundo ela, todos têm documentos compatíveis com a idade.

A programação organizada no PAE Juruti Velho faz parte do Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural (PNDTR), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

PAE_Juruti_Velho_24_04_13O trabalho no PAE Juruti Velho foi executado por servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária/Oeste do Pará e da Superintendência do Trabalho e Emprego/Pará. Membros da Associação das Comunidades da Região de Juruti Velho (Acorjuve) auxiliaram a agilizar os atendimentos.

“Cada vez que a equipe vem, surpreende a demanda. Queremos chegar a um ponto em que todos estejam documentados e organizados, prontos para receberem os benefícios do Governo Federal”, planeja Francisco de Souza Pinheiro, diretor da Acorjuve.

Pinheiro informa que o público que mais demanda documentação é composto por jovens. O PAE Juruti Velho é um assentamento onde estão cadastradas 1.998 famílias como clientes da reforma agrária. Por possuir comunidades tradicionais, onde vivem famílias seculares, as novas gerações mantêm os laços e a sua identidade com a região.

Bolsa Verde
No mesmo local onde ocorreram os atendimentos relativos à emissão de documentos, foi ofertado o serviço de adesão ao programa Bolsa Verde aos assentados previamente selecionados. Ao todo, foram assinados 69 termos de adesão ao programa, que faz parte do Plano Brasil sem Miséria.

O Programa Bolsa Verde efetua repasses trimestrais, no valor de R$ 300, por meio do cartão do Bolsa Família, durante um prazo inicial de dois anos, mas com possibilidade de prorrogação.

pae_juruti_velho_25_04_13O casal (foto) Francenilda da Silva Souza, 30, e Maici Brito Meireles, 28, foram um dos que assinaram o termo de adesão ao Bolsa Verde. São agricultores e extrativistas. No plantio, destacam-se a mandioca, a macaxeira e a banana. Na época do açaí, a venda do fruto também vira fonte de renda para a família, composta por mais cinco filhos. Todos têm certidão de nascimento. Os pais Francenilda e Maici aproveitaram o ensejo do mutirão para requisitar o CPF de todos eles.

PAE_Juruti_Velho_25_04_13

PAE_Juruti_Velho_25_04_13_4

PAE_Juruti_Velho_25_04_13_2

Anúncios

Comentário (s)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s